Menu fechado

Nº 22 – Eng. Civ. Joel Krüger

Conteúdo enviado pelo candidato

CANDIDATO: Joel Krüger

CARGO: Presidente do Confea

Joel Krüger nasceu em Curitiba onde se graduou em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

É Mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) e especialista em Gestão Técnica do Meio Urbano pela Université de Technologie de Compiegne e em Didática no Ensino Superior (PUC-PR).

É professor da Escola Politécnica da PUC-PR há 35 anos, onde coordenou o Curso de Engenharia Civil da instituição por vários anos. Atualmente, ministra as disciplinas de Rodovias e Engenharia Legal.

Como consultor na área de transportes, atuou por vinte anos na Prefeitura de Curitiba onde exerceu diversos cargos.
Foi secretário municipal de Trânsito, ocasião em que implantou um conjunto importante de medidas de proteção à vida, dentre elas, a Via Calma, que resgatou o respeito à vida em áreas estratégicas do centro da cidade. Iniciou sua trajetória no Sistema Confea/Crea/Mútua como conselheiro titular do Crea-PR (2005 e 2010) e diretor-tesoureiro (2006 a 2010).

Em 2011, foi eleito presidente do Crea-PR, cargo que ocupou por dois mandatos consecutivos (2012- 2017).
Em 2017, foi eleito para a presidência do Confea (2018-2020) com base em um programa de amplas mudanças apoiado pela grande maioria dos profissionais.

Com pouco mais de dois anos à frente do órgão, a gestão de Joel Krüger resgatou a credibilidade do órgão, pacificou o sistema profissional e implantou medidas efetivas de valorização das profissões e das entidades de classe do Sistema.
Joel Krüger é associado ao Senge-PR, IEP, Abenc-PR, Mútua e Abenge.

Foi fundador e primeiro presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos da Prefeitura Municipal de Curitiba, Autarquias e Empresas Coligadas (Assengea).

É membro honorário e sócio benemérito de diversas entidades de classe de todo o país.

PROGRAMA DE TRABALHO GESTÃO 2021-2023

Da Defesa e Valorização das Profissões:
• Continuar defendendo a soberania nacional, as empresas nacionais e o capital tecnológico brasileiro;
• Continuar o trabalho desenvolvido nos últimos dois anos do resgate do protagonismo das engenharias, da agronomia, das geociências para o
desenvolvimento nacional;
• Fortalecer e continuar o trabalho de valorização de todas as profissões
vinculadas ao Sistema Confea/Crea e Mútua;
• Seguir na defesa contra a privatização de grandes empresas nacionais como Eletrobrás, Petrobrás, Furnas, entre outras.
• Defender a manutenção da Lei do salário mínimo profissional e a criação da engenharia como carreira de Estado;
• Ampliar a atuação junto ao Congresso Nacional em projetos de lei que tratam de interesses das nossas profissões e combater projetos como a PEC 108, que pretende desregulamentar nossas profissões;
• Ampliar o Programa Mulher criado nesta gestão para incentivar a participação feminina no Sistema Confea/Crea e Mútua, e fortalecer a representatividade nos cargos de liderança com a presença mais equilibrada das mulheres nas profissões registradas no Sistema;
• Fortalecer o trabalho de reciprocidade internacional desenvolvido na gestão, como por exemplo, com a Ordem dos Engenheiros de Portugal, nas áreas de mobilidade profissional e certificação com outras entidades internacionais;
• Defender a unidade das profissões vinculadas ao Sistema Confea/Crea, evitando o desmembramento e o consequente enfraquecimento do nosso Sistema Profissional;
• Ampliar a reestruturação de importantes fóruns consultivos do nosso Sistema, como a Semana Oficial de Engenharia e Agronomia (Soea) e o Congresso Nacional de Profissionais (CNP) com programação técnica de alta qualidade e resgate da presença política, fundamentais para reconstruir projetos de interesse da nação;
• Defender a qualidade da formação profissional de graduação, combatendo o ensino 100 por cento a distância e a proliferação excessiva de cursos;
• Dialogar com órgãos públicos pelo cumprimento da Resolução 1116/2019, aprovada pelo Plenário do Confea que ressalta que serviços e obras de engenharia são especializados, devendo ser contratados pela modalidade técnica e preço, evitando o uso do pregão;

Da Integração do Sistema Confea/Crea e Mútua
• Ampliar mecanismos e a capacidade de fiscalização de todos os Creas,
desencadeando ampla campanha de fiscalização profissional em defesa da vida e da segurança da sociedade;
• Continuar o trabalho de pacificação do Sistema Confea/Crea e Mútua, atuando com equidade, harmonia e respeito no relacionamento com os Creas e Caixas de Assistência da Mútua;
• Intensificar a participação dos profissionais na Mútua, ampliando a base de associados e o rol de benefícios para que sejam mais atrativos para os profissionais;
• Garantir o pleno funcionamento das 27 Caixas de Assistência das Mútuas, ampliando a autonomia administrativa das Regionais;
• Ampliar os programas de suporte administrativo e financeiro aos Creas, como os que viabilizaram obras de reestruturação física dos Creas.
• Ampliar os programas em apoio às Entidades de Classe e Instituições de Ensino, em especial nas políticas de patrocínio e estandes e editais de chamamento público.
• Atuar junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) e demais órgãos da
administração pública, visando a recuperação de repasses de percentuais dos valores arrecadados pelos Creas para as entidades de classe;
• Continuar o trabalho de integração do Sistema, com a promoção de encontros nacionais nas áreas de Fiscalização, Comunicação, TI, Procuradoria Jurídica, entre outros;
• Agir proativamente visando a harmonização de procedimentos administrativos entre os Creas;
• Garantir a aprovação da federalização do Plenário do Confea;
• Ampliar a participação do Colégio de Entidades Nacionais (CDEN), Colégio de
Entidades Regionais (Cder) e Entidades Precursoras na gestão do Confea.
• Manter o tratamento isonômico dado a todas as profissões e profissionais jurisdicionados a este Sistema;
• Ampliar as campanhas de comunicação institucional e de utilidade pública realizadas pelo Confea, sempre valorizando as profissões, bem como a defesa e a informação da sociedade.
• Fortalecer os programas voltados a estudantes e jovens profissionais como Crea Júnior e Crea Jovem, buscando mecanismos legais para sua efetiva implantação.
• Implantar a Escola Superior Corporativa – ESC, focada na capacitação e habilitação de Conselheiros, Inspetores, Dirigentes de Entidades de Classe, profissionais e funcionários em temas inerentes às profissões
• Estruturar um Portal de Empregabilidade com vistas à inserção dos profissionais no mercado de trabalho

Da Gestão Organizacional do Confea
• Fortalecer as ações do Plenário e das Comissões Regimentais do Confea por meio de uma atuação democrática e alinhada aos normativos legais e às expectativas das profissões e dos profissionais;
• Respeitar os princípios fundamentais do serviço público na gestão do Confea, em especial quanto a probidade, publicidade, moralidade, legalidade, economicidade e transparência;
• Implantar concurso público no Confea para ampliar a capacidade operacional e melhorar o atendimento junto aos Creas e profissionais.