Menu fechado

N º 34 – Engª. Agrim. Vânia Abreu de Mello

Conteúdo enviado pela candidata

CANDIDATA: Vânia Abreu de Mello

CARGO: Presidente do Crea-MS

Vânia Mello é natural de Bela Vista e residente em Campo Grande desde 1985.

Formada em Engenharia de Agrimensura, Vânia também é Especialista em Geociências e Mestre em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional.

Desde 1992 atua como Engenheira Agrimensora na AGRAER/SEMAGRO, órgão onde também já ocupou o cargo de Chefe do Setor de Cartografia.

Foi professora na Uniderp durante 22 anos, lecionando para os cursos de Engenharia de Agrimensura, Geografia, Arquitetura e Urbanismo, Agronomia e Engenharia Civil.

No Crea-MS foi Diretora Administrativa e também conselheira por 6 mandatos.

Atuou como Coordenadora Adjunta da CEECAST e Presidente do IEMS, Presidente da ASMEA além de Representante da Engenharia de Agrimensura de MS na Coordenação Nacional de Câmaras Especializadas da Modalidade de Agrimensura do CONFEA de 2008 a 2013 e Especialista do Confea nas discussões da Resolução 1010/2005.

Na MÚTUA-MS ocupou o cargo de Diretora Financeira e atualmente é a Diretora Geral.

Possui vários trabalhos técnicos apresentados em congressos nacionais e internacionais na área de Cartografia, e inúmeras homenagens recebidas, entre elas o reconhecimento de turmas formandos de Engenharia e Arquitetura.

PROGRAMA DE TRABALHO

1. Os profissionais de Engenharia, Agronomia e Geociências, bem como as Entidades de Classe serão mais valorizados;

2. Implementar programas de valorização dos profissionais no mercado de trabalho;

3 Fortalecimento da participação de jovens profissionais no Sistema Confea/Crea/Mútua;

4. Apresentar o Crea-MS para sociedade e profissionais, com uma nova identidade de comunicação;

5. Formulação de parcerias para construção de políticas públicas;

6. Intensificar ações educativas de fiscalização;

7 Transformar a Inspetoria de Dourados em Subsede;

8. Implementar o Colégio de Empresas;

9 Mais transparência com a realização de auditoria externa;

10. Inscrição do Crea-MS em programa de qualidade, como ISO, por exemplo;

11. Lutar pelo salário mínimo profissional através das Entidades de Classe;

12. Reorganizar o Programa Crea-JR;

13. Aproximar o Crea das Instituições de Ensino;